O que é a terapia ocupacional pediátrica? O que faz um Terapeuta Ocupacional? Porque é que o meu filho precisa do acompanhamento do Terapeuta Ocupacional? Quando devo levar uma criança para avaliação em Terapia Ocupacional?

Estas são algumas perguntas com que nos deparamos (terapeutas ocupacionais) no nosso dia-a-dia…

Assim, de forma a esclarecer o que faz um terapeuta ocupacional na área de pediatria, explicamos-lhe tudo de seguida.

Terapia Ocupacional Pediátrica: Para quem?

O Terapeuta Ocupacional na área pediátrica trabalha com crianças, adolescentes e as suas famílias.

O que faz o terapeuta ocupacional?

Este intervém no sentido de descobrir e maximizar o potencial de cada criança e adolescente para que possa ser independente nas suas atividades diárias em casa, escola ou comunidade.

Algumas dessas atividades são brincar, autocuidados, escrita, alimentação, entre muitas outras tão comuns nas crianças.

O Terapeuta Ocupacional avalia as atividades que a criança não consegue ou tem dificuldades em realizar. Por exemplo:

  • Escola – escrever, chutar, saltar à corda…
  • Autocuidados – vestir/despir, abotoar, fazer o laço dos sapatos, lavar os dentes…

Simultaneamente analisa quais as estruturas e/ou funções que estão a limitar o desempenho da criança. Por exemplo:

  • Dificuldades de coordenação motora
  • Motricidade fina
  • Atenção
  • Processamento sensorial

Depois da avaliação realizada procede à construção de um plano de intervenção adequado e verdadeiramente personalizado.

A intervenção do Terapeuta Ocupacional assenta no desenvolvimento das competências motoras, cognitivo-percetivas e sensoriais em défice. Por exemplo:

  • Equilíbrio
  • Integração dos reflexos
  • Organização espacial
  • Coordenação viso-motora

Tudo isso é feito através de jogos ou atividades terapêuticas e no treino do desempenho das várias atividades em que existem dificuldades de execução (ex. vestir/despir, utilização dos utensílios na alimentação, escrita).

Simultaneamente, a abordagem do Terapeuta Ocupacional poderá incluir mudanças no ambiente ou equipamento que facilitem realização das atividades (ex. talheres com cabos engrossados, engrossador de lápis, colocação dos objetos na linha média, nível de ruído,…).

Além disso, pode incluir também aconselhamento de pais e professores (ex. adaptações na forma como são dadas instruções, utilizar estratégias como dividir a tarefa em passos simples, introduzir pistas/lembretes…)

Assim, na sua intervenção, o terapeuta ocupacional pediátricio utiliza diversas abordagens como por exemplo a abordagem sensório-motora (TND, Integração Sensorial), psicomotora, adaptativa.

Quando devo levar uma criança para avaliação em Terapia Ocupacional?

Existem algumas dificuldades que a criança pode vivenciar e que poderão indicar que a mesma beneficiaria do acompanhamento da Terapia Ocupacional.

Em seguida deixamos algumas perguntas que poderá responder de forma a perceber se uma avaliação seria indicada para o seu filho/aluno.

  1. Parece desajeitado ou descoordenado nos seus movimentos?
  2. Tem dificuldade em ter novas ideias para brincar ou em saber como brincar com os brinquedos? Parece não gostar de brincar?
  3.  Cai mais frequentemente que as outras crianças, tem tendência a tropeçar e a bater nas coisas?
  4.  Parece ter problemas em focar os olhos em objetos em movimento?
  5.  Não consegue manter-se sentado direito na cadeira?
  6.  Confunde esquerda/direita ou as noções cima/baixo?
  7.  Vira/roda todo o corpo para conseguir alcançar um objeto?
  8.  Demonstra uma preensão imatura? Tem dificuldades em pegar no lápis?
  9.  Faz muita ou pouca pressão do lápis no papel?
  10. Demonstra dificuldades em cortar? Por cima das linhas ou colar imagens no local correto?
  11.  Tem uma escrita desorganizada? Tem dificuldade no espaçamento das letras, respeitar as margens,..?
  12.  Aparenta ter uma escrita ilegível?
  13.  Tem dificuldades em pintar dentro dos contornos?
  14.  Parece extremamente sensível ao som? Os barulhos de pessoas e objetos distraem-no de tal forma que que não consegue terminar as tarefas?
  15.  Tem dificuldade em montar puzzles ou fazer construção de blocos?
  16.  Tem dificuldades em vestir-se, lavar as mãos, utilizar o garfo e faca em simultâneo?
  17.  Não consegue abotoar botões das camisolas, abrir camisolas com fechos e/ou fazer o laço no sapato?
  18.  Está sempre desatento, não se mantém sentado, procura todo o tipo de objetos?
  19.  Tem dificuldade em realizar movimentos de forma fluida e ritmada ?
  20.  Tem dificuldade em tarefas como atirar uma bola, correr, saltar, trepar?

Se respondeu sim a uma ou mais questões não hesite em colocar as suas dúvidas para
to-margarida-sabino@faleconnosco-saude.pt!

As suas respostas serão avaliadas e receberá feedback com a maior brevidade possível.