Terapias nas escolas: que vantagens?

Se até há bem pouco tempo as terapias nas escolas eram algo incomum, hoje em dia são uma prática cada vez mais recorrente.

E, tendo em conta que o desenvolvimento infantil é uma preocupação nossa e intervimos frequentemente com crianças, a nossa presença em escolas é constante.

Na verdade, sobretudo com crianças em idade de creche e pré-escolar, raramente fazemos acompanhamentos de terapia da fala, psicologia, terapia ocupacional ou fisioterapia exclusivamente em consultório.

Por isso, o que nos leva então a intervir no contexto escolar? Resumidamente um acompanhamento mais personalizado e precoce.

Terapias nas escolas: Contexto e vantagens

Um acompanhamento de terapia da fala, psicologia, terapia ocupacional ou fisioterapia realizado no contexto educativo tem diversas vantagens. Podemos frisar as seguintes:

  • As terapias são integradas na rotina da criança, encaradas muitas vezes com uma atividade extracurricular
  • O contexto é natural para a criança que já está adaptada
  • Mantemos uma relação próxima com educadores e professores, permitindo um verdadeiro trabalho em equipa, no contexto onde a criança passa mais tempo
  • Os pais têm acesso a uma plataforma de comunicação exclusiva onde podem consultar toda a informação acerca do trabalho que está a ser desenvolvido, podendo estar presentes sempre que se justificar

Ainda que na maior parte das situações a intervenção na própria escola seja uma enorme mais-valia, a verdade é que não há receitas ou respostas únicas.

Por isso mesmo as nossas abordagens e recomendações são personalizadas e dependem sempre de uma avaliação prévia.

É preciso sempre um olhar global acerca da criança e contextos em que se insere de forma a que possamos entender melhor as suas necessidades.

Também as próprias especificidades da intervenção podem remeter para a necessidade de acompanhamento em consultório. Isso é comum quando a criança necessita de terapia ocupacional com recurso a materiais terapêuticos específicos para os quais o mais adequado é uma sala devidamente equipada.

Contudo, as terapias nas escolas são sem qualquer sombra de dúvida uma forma de chegarmos às crianças de forma precoce.

Não é incomum detetarmos dificuldades/alterações prematuramente devido a esta prática.

A importância do diagnóstico precoce

É fundamental as escolas terem uma equipa terapêutica que avalie e apresente um plano para crianças que apresentem dificuldades.

Algumas perturbações do neurodesenvolvimento, como é o caso do défice de atenção, perturbação do procesamento sensorial, perturbações da linguagem e fala ou perturbação do processamento auditivo, , podem ter um impacto significativo no desenvolvimento dos mais novos e ,se detetadas e trabalhadas precocemente, vamos prevenir uma aprendizagem deficiente.

Assim, o diagnóstico precoce e a implementação de medidas corretivas, irá fazer com que os problemas possam ser ultrapassados ou minimizados.

Contrariamente ao que possa pensar, não há intervenção cedo de mais, na verdade, dependendo das situações em específico, pode ser pertinente trabalhamos até com bebés como é o caso nas questões relacionadas com alimentação ou quando há já diagnósticos estabelecidos.