15 dicas para melhorar a segurança e independência da pessoa com AVC em casa

Up to Lisbon Kids
04/08/2017
10 dicas para o arranque do ano letivo (para filhos e pais!)
10/09/2017

Artigo publicado no Portal Inspire Saúde

O acidente vascular cerebral (AVC) é uma doença que provoca uma diversidade de consequências: motoras, cognitivas, sensoriais, de linguagem… Após acompanhamento clínico intensivo, a pessoa que teve o AVC poderá voltar para casa e aí irá debater-se com um novo desafio… uma casa! Uma casa que antes era o seu conforto e que agora se torna numa barreira à sua segurança e independência!

Mas sabia que existem pequenas alterações que você pode fazer na casa do seu familiar que sofreu o AVC e que podem fazer a diferença?!

 

Em seguida mostramos 15 dicas de mudanças/adaptações fáceis, rápidas e económicas que poderá experimentar:

  1. Mantenha iluminadas todas as divisões onde o doente circula;
  2. Evite deixar objectos no chão ou móveis no caminho;
  3. Os tapetes devem ser retirados ou fixados no chão com fita antiderrapante;
  4. Caso possua degraus em casa instale uma rampa ou coloque corrimões e use em simultâneo fita antiderrapante no bordo do degrau;
  • Cozinha/sala
  1. Organize a cozinha de forma a que as tarefas possam ser executadas numa cadeira confortável ;
  2. Coloque os produtos e utensílios em locais de fácil acesso;
  3. As mesas utilizadas para comer ou escrever devem ser estáveis, sólidas e altas;
  4. Use cadeiras sólidas, com encosto e apoio para as mãos e os antebraços;
  5. Evite assentos muito baixos;
  6. Nos pisos escorregadios (ex. cozinha ou sala) coloque tapetes antiderrapantes;
  7. Prefira maçanetas arredondadas para as portas para facilitar a pega;

 

  • Quarto:
  1. Prefira uma cama com uma altura que permita que a pessoa se sente nela com os pés assentes no chão;
  2. Coloque a cama num canto e a mesa-de-cabeceira do lado “são” da pessoa, para facilitar a sua autonomia;
  • Casa de banho:
  1. Use uma cadeira para facilitar o banho;
  2. Instale barras de apoio nas paredes da banheira.

Além destas alterações, para que a casa do doente de AVC se torne mais segura, podem ser utilizados alguns produtos de apoio que facilitarão o desempenho das atividades do dia-a-dia, como o banho, o vestir e despir, cozinhar, etc. Exemplos desses produtos são: esponja de cabo comprido, alcançador, calçadeiras, tábua adaptada, talheres adaptados, prato com rebordo, etc.

Apesar das dicas que demos anteriormente, modificações e produtos de apoio devem ser escolhidos de acordo com as capacidades da pessoa. Enquanto, por exemplo, um doente pode beneficiar de um produto de apoio para realizar determinada atividade, outro pode conseguir realizar essa atividade através do seu treino (ex. técnica do uso de uma mão) e por isso não necessita desse produto.

Se pretende uma ajuda na escolha das adaptações adequadas para o caso do seu familiar, não hesite em procurar um terapeuta ocupacional!

Segundo a AOTA , a  Terapia Ocupacional providencia ferramentas para a otimização do ambiente doméstico e promover uma participação efetiva nas atividades do dia-a-dia. As modificações domésticas são adaptações nos ambientes onde o utente vive de forma a aumentar a sua segurança e independência.

Os Terapeutas Ocupacionais são os profissionais capazes de reconhecer como o ambiente afeta a capacidade do individuo desempenhar as suas ocupações e por isso têm um papel chave na identificação de estratégias que permitem aos indivíduos mudar as suas casas promovendo a sua segurança e independência.